MÃE – CLAUDIO BONJARDIM

MÃE – CLAUDIO BONJARDIM

Data: 7 de maio de 2020

Rosa Encantadora

Botão, Flor, Rosa Encantadora, Mulher!.
Quantas outras abrigas dentro de Ti?
Desse Jardim que hoje se constitui em si,
Do perfume que exalas, conferes a quem aprouver.

Mulheres que se fundiram nas entranhas de tantos ventres.
Passados recentes, longínquos, remanescentes.
Ainda assim, almas serenas, candentes,
Rebentos que projetam no hoje, seus fragmentos, sementes.

Oh aparente frágil elo, que conecta o presente ao futuro e ao passado,
Cuja estrutura tenaz é como o fio da seda esticada.
Que a tudo acolhe e protege em seu coração alado.
Pérola, pétala, fragrância, na maturidade ofertada.

Vitória-Régia, Camélia, Tulipa, Bouquet.
Ventre, regaço, seios, em tudo és essência.
Sereno tempero, formosura, da vida, clemência.
Inebriante presença que dissipa, da dúvida, o por quê.

Vida que se replica em muitos outros viveres,
Que se propagam disseminando a tantos, alento, .
E qual pluma flutua das profundezas ao firmamento.
Conferindo leveza à alma do universo em seus afazeres.

Mãe!. Simples assim, doce mistério.

Minha mais singela homenagem!!!!!
BH 13 de Maio de 2018.
Cláudio.
“Que a alma cresça, o coração transborde e o espírito se liberte”.

Categorias: